Gestão e Estratégia

Miguel Scotti

Quando Peter Drucker foi convidado, pela primeira vez a estudar uma organização de negócios – a GM, ele olhou aquilo e disse: “Não, não! Isso não é só processo. Aqui é preciso inteligência para fazer isso acontecer!” E escreveu seu primeiro livro: Concept of the Corporation (1946). E sobre este fundamento começou seus estudos sobre a prática da gestão. P. Drucker escreveu o primeiro livro sobre Gestão na década de 50: The Practice of Management. Seu livro começa: “O gerente é o elemento dinâmico, vivificante, de todo o negócio. Sem a sua liderança, os meios de produção continuariam a ser meios e nunca chegariam a ser resultados”.

Voltar aos primórdios do conceito nos ajuda a confrontar a realidade. O desenvolvimento gerencial cumpre parte de sua função ao entregar um sem numero de ferramentas de análise e tomada de decisão, formando especialistas (linguagens e narrativas próprias) em Gestão de Pessoas, Gestão de Logística, Gestão Financeira, Gestão de Riscos, de Projetos, de Mudanças, de Tecnologia….. Todos necessários. Mas não só!

Voltemos aos primórdios de Drucker:

- “… nunca chegariam a ser resultados”. A atual e necessária proliferação de especialistas (cada um com sua linguagem própria, correndo atrás de seus próprios resultados) perdem de vista os “resultados” do negócio!

- “…é o elemento dinâmico, vivificante…”. As ferramentas, os processos e a padronização de análise e tomada de decisão do dia-a-dia são rotina, pouco têm de dinâmico e vivificante. São necessários, mas a rotina cristaliza e fossiliza!

- “… é preciso inteligência para fazer isso ….”. O aprendizado do manuseio e a aplicação de ferramentas e instrumentos de análise e tomada de decisões especializadas, embora necessário, não provê inteligência à organização.

Assim, a percepção dos resultados do negócio como um todo; a capacidade dinâmica de transformação e a inteligência estratégica sistêmica não são objeto do desenvolvimento gerencial padrão. Em conjunto, eles formam importante gap ao alcance de performances superiores e sustentáveis nas nossas organizações de negócio.